segunda-feira, 2 de janeiro de 2017

Cidade do Vaticano – O Papa Francisco rezou a oração mariana do Angelus, deste domingo (1º/01), com os fiéis e peregrinos reunidos na Praça São Pedro, 50º Dia Mundial da Paz. ” Constrói-se a paz dizendo não, com os fatos, ao ódio e à violência, e dizendo sim à fraternidade e reconciliação. Cinquenta anos atrás, o Beato Paulo VI iniciou a celebrar o Dia Mundial da Paz para reforçar o compromisso comum de construir um mundo pacífico e fraterno”.

Na alocução que precedeu a oração, o pontífice recordou que, “nos últimos dias, voltamos o nosso olhar de adoração ao Filho de Deus, que nasceu em Belém. Hoje, Solenidade da Santa Mãe de Deus, Maria, voltamos os nossos olhos para a Mãe”, vendo em Jesus e Maria uma ligação estreita.

“Esta ligação não se exaure no fato de ela ter gerado e no fato de Ele ter sido gerado”, disse Francisco. “Jesus nasceu de uma mulher para uma missão de salvação e sua mãe não foi excluída dessa missão, pelo contrário, é associada intimamente a esta missão. Maria é consciente disso e não se fecha em sua relação materna com Jesus, mas permanece aberta e observa tudo o que acontece ao redor Dele: conserva e medita, analisa e aprofunda, como nos recorda o Evangelho de hoje. Ela já disse o seu sim e se disponibilizou a ser envolvida na realização do plano de salvação de Deus, ‘que dispersa os soberbos de coração, derruba do trono os poderosos e eleva os humildes; aos famintos enche de bens, e despede os ricos de mãos vazias’. Agora, silenciosa e atenta, procura entender o que Deus quer dela a cada dia.”
Segundo o Papa, a visita dos pastores oferece a Maria a ocasião de “ver algum elemento da vontade de Deus que se manifesta na presença dessas pessoas humildes e pobres. O Evangelista Lucas nos fala da visita dos pastores à gruta com verbos que expressam movimento: eles foram às pressas e encontraram Maria e José, e o Menino, o veem, referem o que Dele tinha sido dito, e glorificam a Deus. Maria acompanha atentamente esta passagem, o que dizem os pastores, o que aconteceu a eles, pois vê nela o movimento de salvação que surgirá da obra de Jesus, e se adapta, pronta para qualquer pedido do Senhor. Deus pede a Maria não somente para ser a mãe de seu Filho Unigênito, mas também para colaborar com o Filho e para o Filho no plano de salvação a fim de que nela, serva humilde, se cumpra as grandes obras da misericórdia divina.”
Contemplando o ícone do Menino nos braços de sua Mãe, sentimos aumentar em nosso coração um sentido de reconhecimento imenso por Aquela que deu ao mundo o Salvador. Por isso, no primeiro dia do Ano Novo, dizemos a ela:

Obrigado, ó Santa Mãe do Filho de Deus Jesus, Santa Mãe de Deus!Obrigado pela sua humildade que atraiu o olhar de Deus.Obrigado pela fé com a qual acolheu a sua Palavra.Obrigado pela coragem com que disse: eis-me aqui, esquecendo-se de si, fascinada pelo Santo Amor e tornando-se uma só coisa com a sua esperança. Obrigado, ó Santa Mãe de Deus!Reza por nós, peregrinos no tempo. Ajude-nos a caminhar na via da paz. Amém

DIA MUNDIAL DA PAZ

Após a oração mariana do Angelus, deste domingo (1º/01), o Papa Francisco disse aos fiéis e peregrinos que se encontravam na Praça São Pedro:
“O ano será bom na medida em que cada um de nós, com a ajuda de Deus, procurar fazer o bem a cada dia. Constrói-se a paz dizendo não, com os fatos, ao ódio e à violência, e dizendo sim à fraternidade e reconciliação. Cinquenta anos atrás, o Beato Paulo VI iniciou a celebrar o Dia Mundial da Paz para reforçar o compromisso comum de construir um mundo pacífico e fraterno. Na mensagem deste ano, propus assumir a não violência como estilo por uma política de paz.”

A seguir, o Papa disse: “Infelizmente, a violência foi também perpetrada nesta noite de felicitações e esperança. Entristecido, manifesto a minha proximidade ao povo turco, rezo pelas vítimas numerosas e pelos feridos e por toda a Nação em luto, e peço ao Senhor para ajudar todos os homens de boa vontade que arregaçam corajosamente as mangas para enfrentar a chaga do terrorismo e esta mancha de sangue que envolve o mundo com um sombra de medo e desânimo, com o atentado grave em Istambul. Estou próximo com a oração aos defuntos e seus familiares, aos feridos e a todo o povo turco.”

O Papa agradeceu ao Presidente da República Italiana as felicitações dirigidas ao pontífice na mensagem à nação, nas vésperas do Ano Novo.

Francisco retribuiu de coração, “invocando a bênção do Senhor sobre o povo italiano a fim de que, com a contribuição responsável e solidária de todos, possa olhar para o futuro com confiança e esperança”.

A seguir, o Pontífice saudou todos os presentes na Praça São Pedro, famílias, associações e grupos de jovens, desejando um Ano Novo sereno e feliz. Agradeceu as muitas iniciativas de oração e compromisso pela paz que se realizam em várias partes do mundo, recordando, em particular, a marcha nacional promovida no último sábado (31/12), em Bolonha, pela Conferência Episcopal Italiana (CEI), Caritas, Ação Católica e Pax Christi, com o apoio da Diocese e Prefeitura de Bolonha.

O Papa saudou os participantes da manifestação “Paz em todas as terras”, promovida pela Comunidade Romana de Santo Egídio. Enfim, Francisco desejou um ano de paz na graça do Senhor, com a proteção materna de Maria, Mãe de Deus.

Confira a baixo a mensagem do Papa Francisco para o 50º Dia Mundial da Paz.

0 comentários:

Postar um comentário

Tecnologia do Blogger.

Últimas Postagens