segunda-feira, 2 de abril de 2012

Assis, Retorno a Porciúncula

No contexto do Centenário da Consagração de Santa Clara, acontecida há 800 anos, a Basílica Papal de Santa Maria dos Anjos, na Porciúncula, hospedará, a partir de 26 de fevereiro de 2012, nos lugares das memórias franciscanas e do Museu da Porciúncula, interessante exposição dedicada a Santa Clara.

A mostra tem o objetivo de celebrar uma mulher que deixou um sinal nada indiferente na cultura, na espiritualidade e na arte, cujo carisma, ainda hoje, arrasta após si milhares de consagradas e cujo nome continua sendo venerado em todo mundo.

A exposição reúne objetos de arte, provenientes dos Mosteiros de Clarissas, de Conventos franciscanos e dos Arquivos do Museu da Porciúncula e, sobretudo, visa descrever a grandeza de Clara e sua visão profética, por meio de reproduções gráficas de miniaturas antigas, de palavras de seus antigos biógrafos e aquelas significativas palavras do Papa Bento XVI e do Beato João Paulo II.


No centro da mostra sobressai o Quadro do Mestre de Santa Chiara, excepcionalmente exposto por ocasião desse feliz aniversário. Trata-se de uma obra de incalculável valor da arte medieval e que podemos definir como ponto de referência, paradigma, de todo modo de representar a Virgem de Assis e de descrever a importância de sua figura para a espiritualidade e vida religiosa.

Observando o modo exemplar em que o anônimo Mestre de Santa Clara ofereceu a efígie da Santa à nossa contemplação, com o objetivo de imitar sua vida, resultará mais eloquente compreender quanto a arte cristã tenha sido fruto da espiritualidade do tempo e, ao mesmo tempo, tenha influenciado de maneira decisiva seus resultados.

Junto à grande pintura histórica, estão expostas algumas obras de “devoção”, dedicadas a Santa Clara, que também são provenientes de Mosteiros e Conventos franciscanos.


Dois artistas contemporâneos, Aurélio Bruni e Piero Casentini, sensíveis à espiritualidade franciscana, empenharam-se, por sua vez, em buscar pensar Clara nos fatos notáveis de sua história humana, em relação a Porciúncula e em sua imagem de referência, e de fazê-lo com um olhar contemporâneo. Numa época de incerteza iconográfica, trata-se de uma tentativa plausível e louvável, cujo resultado é extremamente valioso.

A exposição, que estará aberta até o dia 11 de agosto de 2012, foi inaugurada no domingo, dia 26 de fevereiro.

0 comentários:

Postar um comentário

Tecnologia do Blogger.

Últimas Postagens